domingo, 9 de setembro de 2012

Nuvem branca






Nuvem branca
(Lola)
Nuvem branca
Floco de algodão
Que a imaginação
Transforma em formas
Tantas
Tantas quantas
Se desejar

Nuvem branca
Floco de algodão
Que o coração coloca
No sonho
Com carneirinhos
E passarinhos
Nos ninhos fofos
De flocos de algodão
De imaginação...

Por um acaso
É proibido imaginar?
Não é permitido sonhar
Com o impossível?
Com o inatingível?

Tudo é sonhável
Tudo é imaginável
Vendo aquela nuvem branca
Floco de algodão
Longe do chão
Longe da mão

Imaginação
Imagem – ação

Se sonha o sonho
Pra colocá-lo em prática
Eis a tática
Do impossível
Se fazendo possível
Do inviável
Se fazendo viável

Da nuvem branca
Floco de algodão
Vir pastar nos pastos
Aqui do chão
Transformada em carneirinho
Carneirinho-imaginação

16 comentários:

  1. Olá querida seguidora e amiga, estou mais uma vez aqui com meu comentário pronto, mas de forma alguma querendo me promover, mas está mais perto de você, reavivando os laços que nos une nessa blogosfera. Como diz Madre Tereza de Calcuta “Por vezes sentimos que aquilo que fazemos não é senão uma gota de água no mar. Mas o mar seria menor se lhe faltasse uma gota”. Com certeza fazemos a diferença nesse mundo virtual, postando um pouco dos nossos conhecimentos, compartilhando coletivamente para que cheguem a outros indivíduos e assim sejam multiplicados. E lembrando mais uma vez Madre Tereza: “As palavras de amizade e conforto podem ser curtas e sucintas, mas o seu eco é infindável”. Saber que temos amigos mesmo por traz dessa telinha fria é maravilhoso, afinal podemos está distantes, falar línguas diferentes, mas estamos debaixo do mesmo céu. Bjuss um abençoado domingo e um inicio de semana na paz de Deus.

    ResponderExcluir
  2. ¡¡¡Que Carneirinho-imaginação mais lindo!!!
    Preciosa, como siempre, tu imaginación y tu inspiración hecha Poesía.
    Un abrazo, Lola.

    ResponderExcluir
  3. Minha querida

    Como é bom sonhar envolta nesse algodão branco das nuvens...um poema maravilhoso.


    Um beijinho com carinho
    Sonhadora

    ResponderExcluir
  4. Se puede imaginar, se puede soñar
    Muy lindo post
    Un abrazo

    ResponderExcluir
  5. Oi Lola e quanta coisa podemos imaginar com nuvens de algodao, lindoo.
    Bjks e otima semana

    ResponderExcluir
  6. Sim, eu li com prazer. Imaginação podemos usar em qualquer lugar, e quando você coloca seus pensamentos no papel é melhor ainda. Um belo dia!

    ResponderExcluir
  7. ola. vim retribuir a visita e adorei tudo por aqui.
    muito obrigada e parabéns!

    ResponderExcluir
  8. lola que modo gostoso de falar das nuvens, como flogo de algodão... e é assim mesmo né? bela imaginação a poesia nos trás. seu texto está ótimo. parabéns - lamarque

    ResponderExcluir
  9. Mir gefällt was ich hier sehen und auch lesen kann, komme wieder ganz bestimmt schon morgen dann...

    Lieben Gruß und genieße den Tag
    CL

    Und Vielen Dank für Deinen Besuch und folgen!

    ResponderExcluir
  10. Lola, não é proibido sonhar; pelo contrário, muito viável imaginar. E como a imaginação voa, às vezes peregrina, outras se aventura, outras descansam na paz do espírito. Não esqueçamos ainda de que o melhor repouso da imaginação é aquele em que se deita com prazer nos olhos da amada flor que nos enfeita e perfuma.
    Lindo o teu poema! Leva a gente a planar pelo céu azul das nuvens de algodão.
    Obrigado pela tua visita e aqui estou eu porque aqui a poesia chega direto no coração. Bjs. Daniel.

    ResponderExcluir
  11. Que lindo LOLA Querida !!! Gostei muito Com meu carinho Pedro Pugliese

    ResponderExcluir
  12. Olá Pessoa,
    Que bom poder retribuir sua visita, vou voltar com mais calma pra ler-te mais...
    Linda poesia e linda visita no meu ninho, grata! Volte sempre... por aqui já fiquei...


    bjsssssssss meussssss

    Catita

    ResponderExcluir
  13. Muita sensibilidade, Lola. Sempre uma honra estar aqui.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  14. Sou um devoto fazedor de sonhos
    Um homem que segue o destino
    A minha sombra nem sempre me acompanha
    Nem sempre acredito haver um ser divino

    Nem sempre acredito que há coisas para acreditar
    Nem sempre uma viagem tem um feliz fim
    Já acreditei no imenso do sentir de gente
    Que me disse sentir tanto por mim

    São tão perfeitas as flores
    Não morrem, apenas se despem das cores
    Sou tão imperfeito nesta forma humana
    São tão estúpidos certos sentries

    Mágico beijo

    ResponderExcluir
  15. Que linda poesia Lola. Que bom sonhar com o céu, tendo os pés no chão.
    Adorei seus carneirinhos de nuvens nos pastos do céu e da terra. Me fez voltar a minha infância novamente.Parabéns à sua sensibilidade.bjs.

    ResponderExcluir

Oiiii! Que bom que estás aqui comigo. Valeu!

Oiiii! Que bom que estás aqui comigo. Valeu!
Muito obrigada pela visita. Volta!